A Associação Amigos da Grande Idade vai iniciar o ano com novas propostas de formação na linha das que tem mantido e que conseguiram um êxito significativo.

Entendemos que estamos na hora de reajustar a nossa formação a novas necessidades e desafios que tem surgido. Surge uma nova geração de clientes nos lares de idosos que criam novos problemas a resolver e surgem novas exigências não só decorrentes da legislação mas também do prioritário objetivo de garantir a sustentabilidade das entidades e instituições.

A Associação acredita que está na competência das direções técnicas o aumento das suas responsabilidades e não na introdução de novos técnicos na área da gestão.

As direções técnicas tem hoje que alargar a sua intervenção, dando resposta a várias áreas e não se deixar ficar pelas atribuições dadas por um decreto-lei estafado, ultrapassado e desadequado á realidade atual.

As instituições e entidades, sejam públicas, sociais ou privadas, esperam que as direções técnicas que contratam abranjam um conjunto de competências e exerçam lideranças que assegurem a tranquilidade das administrações, dos gerentes, dos provedores e dos presidentes.

Não é possível continuarmos no caminho da desculpabilização com “o não me deixam fazer” e o “não me dão autoridade”. A autoridade é ganha pela competência e pelos resultados que as direções técnicas vão conseguindo no exercício das suas funções.

As novas propostas de formação da Associação mantém a linguagem desconstrutiva, por vezes dura, que chama à realidade e não esconde as dificuldades e os problemas, preparando os técnicos para os enfrentarem.

As nossas formações 2016:

– CURSO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE LARES DE IDOSOS E CASAS DE RESPOUSO

– WORKSHOP “DESAFIOS NA GESTÃO DE LARES”