Cuidados Continuados: mais de um terço dos doentes morre no primeiro mês de internamento

Abr 7, 2010

Mais de um terço dos doentes que deram entrada na Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI) em 2009 morreu no primeiro mês de internamento.  Os números são do relatório anual da rede que indica também que a maioria das pessoas apoiadas pela RNCCI são idosas, pobres, com baixa escolaridade e “pouca saúde”.

 

A versão integral do Relatório pode ser consultada aqui.

Segundo o documento, registaram-se 2779 óbitos, o que representa 13% dos utentes assistidos e 18% (9,1% em 2008) do total de doentes que saíram da rede em 2009. 

Considerando todos os óbitos, 17% ocorrem nos primeiros 10 dias de internamento (17,8% em 2008) e 36% no primeiro mês (38,8 % em 2008).

Mesmo excluindo as unidades de cuidados paliativos, em que a mortalidade é muito superior, há uma percentagem de 11% de óbitos nos primeiros 10 dias de internamento e 29 % no primeiro mês.

Segundo a coordenadora da RNCCI, “ainda existem muitos óbitos nas estruturas de internamento da rede”, apontando como uma das razões para esta situação haver pessoas que “chegam à rede em situações extremamente tardias, em que já quase nada se consegue fazer”.

“As pessoas são referenciadas para a rede numa situação já muito precária e sem o mínimo de avaliação do local para onde deviam ser referenciadas. Nós temos pessoas a serem referenciadas para convalescença, que também têm um elevado número de óbitos”, sustentou.

Por outro lado, o tempo que demoram nos hospitais sem serem referenciados também pode contribuir para esta situação, acrescentou.

A percentagem de utentes em Unidades de Cuidados Paliativos em 2008 foi de cinco % do total de assistidos (645) na rede e em 2009 foi de 10 % (2018 assistidos). As mortes nestas unidades em 2009 correspondem a 34 % do total dos óbitos ocorridos na RNCCI.

“Na rede não tratamos doenças, tratamos pessoas a quem queremos reabilitar”, disse a coordenadora, que acrescentou: “As pessoas têm recorrido cada vez mais às urgências quando deviam ter um médico de família que as mantivesse estáveis e equipas no domicílio que as acompanhassem”.

Inês Guerreiro defendeu que se deve evitar a ida aos hospitais: “Estudos científicos revelam que cada internamento hospitalar leva a que uma pessoa idosa perca entre 25 a 55% das suas capacidades”.

“Isto leva-nos a concluir que cada pessoa que sai do hospital sai doente”, disse, comentando que, no caso das pessoas idosas, “um dia a mais no hospital é um dia a menos na vertical”.

O relatório indica que a família constitui o principal suporte dos utentes referenciados para a rede (52 % em 2009 e 67 % em 2008), seguido da ajuda de técnicos de saúde (11 % em 2009 contra cinco % em 2008).

A ajuda domiciliária, que representava 24% em 2008, é agora 11%. Em 2008, os utentes apoiados em Centro de Dia representavam 10% e eram metade em 2009.

Os principais tipos de apoio estão relacionados com a alimentação, a higiene pessoal, a roupa de casa e os medicamentos.
O número de utentes assistidos em 2009, comparativamente com 2008, cresceu de 13 457 para 20 692, representando um acréscimo de 54%.

Aumento dos utentes com mais de 80 anos

Segundo Inês Guerreiro, 80,5% dos utentes referenciados na rede têm mais de 65 anos e 42% mais de 80 anos. A maior parte vive com a família, que, muitas vezes, também tem uma idade avançada, e 21% vivem sozinhos.

O relatório da RNCCI de 2009, a que a agência Lusa teve acesso, indica que houve um aumento dos utentes com mais de 80 anos no ano passado (39 por cento em 2008), o que pressupõe “situações de menor autonomia e de maior dificuldade de recuperação”.

Inês Guerreiro adiantou que 35% das pessoas atendidas em 2009 eram analfabetas e 55% tinham apenas seis anos de escolaridade. 

Lusa

Ler mais

Primeiras Parcerias

Mar 25, 2010

No decorrer do mês de Março foram assinados dois protocolos oficiais com entidades para a área da Formação.

A Associação passa assim a atingir mais um dos seus importantes objectivos: não pretendendo ser uma entidade de formação, aproveitando um mercado completamente desregulado e onde poderia oportunistamente VENDER formação em pacotes, pretende influenciar a área, pelo menos no âmbito da formação da gestão de equipamentos destinados a pessoas idosas, qualidade desses equipamentos e, especialmente dos serviços e cuidados prestados, passando pelo atendimento, cuidadores informais e acima de tudo auxiliares que prestam cuidados directos.

Assim o papel da Associação na área da Formação é exclusivamente de autor de conteúdos e coordenação de cursos com esses conteúdos.

A organização dos cursos e toda a parte logística, bem como a financeira, passam a ser asseguradas por dois parceiros: o Instituo Leopoldo Guimarães (ILG) e a Cooperativa para a inserção profissional em arquitectura, CRL (ARQCOOP), duas entidades que há muito desenvolvem o seu trabalho na área da Formação.

Os protocolos foram assinados pelo Presidente E Vice-Presidente da ARQCOOP e pelos Directores do ILG e pelo Presidente e Vice-Presidente da Associação.

Com base nestes protocolos estão já lançados o 8º Curso de Gestão de Lares em Lisboa, Algarve e Porto, a Pós-Graduação em Gestão de Equipamentos destinados a pessoas idosas e o curso de gestão da qualidade. 

Após este trabalho de consolidação da Associação como detentora de formações inovadoras específicas para a área das Pessoas Idosas, estamos agora em condições de avançar para outras tarefas de importância fundamental no sentido de melhorarmos os cuidados e serviços prestados à Grande Idade.

Ler mais

Prémio BPI Capacitar

Fev 24, 2010

O BPI criou um prémio de 500 mil euros, designado por PRÉMIO BPI CAPACITAR, que visa apoiar projectos que promovam a melhoria da qualidade de vida e a integraçao social de pessoas portadoras de deficiência. Até ao dia 8 de Abril de 2010, todas as Instituições sem fins lucrativos, com sede ou actuação em Portugal, podem candidatar-se no site do Banco. Deve ter-se em conta que, com o aumento da esperança de vida, cada vez mais aumentam as pessoas idosas com deficiência ou, as pessoas com deficiência que ultrapassam os 65 anos. Estas pessoas, para as quais a sociedade não tem qualquer preparação ou oferta, são muitas vezes duplamente descriminadas. A Associação lança o desafio a todos os que quiserem lançar projectos para candidatar ao prémio BPI, que utilizem a Associação como plataforma para concorrer. Após analise das diversas propostas a associação garante a total autonomia no desenvolviomento do projecto, servindo apenas de entidade formal para qualquer um dos interessados poder concorrer ao prémio do BPI. A Associação gostaria também de felicitar o Banco BPI, que a exemplo de muitas Empresas, começam a entender o benefício que existe em contribuirem com a sua responsabilidade social para o desenvolvimento da sociedade, abandonando o modelo caritativo do peditório nacional e alocando algumas verbas para apoiar o empreendedorismo e a inovação, dirigida a resolução de problemas sociais.

Ler mais

INDICADORES DE QUALIDADE SENSIVEIS AOS CUIDADOS DE ENFERMAGEM EM LARES DE IDOSOS

Jan 20, 2010

A Associação organizou a reunião de um Grupo de Peritos na Escola Nacional de Saúde Publica, coordenada pela Professora Doutora Ana Escoval que colocou à disposição do grupo um sofisticado equipamento tecnológico, raramente utilizado no País e que facilita a tomada de decisão, orientando os passos mais importantes da discussão, da análise e da reflexão.

A reunião deste grupo surge em consequência do apoio que a associação está a dar a uma tese de mestrado do enfermeiro Telmo Aleixo integrada no 2º ano do mestrado académico em Gestão de Serviços de Enfermagem na Universidade Católica de Lisboa.

O objectivo do Grupo de Peritos foi validar um conjunto de indicadores de qualidade sensíveis aos cuidados de enfermagem em Lares de idosos em Portugal.

O Grupo foi constituído pelo Professor Alfredo Henriques (Presidente do Centro Português de Investigação em História e Trabalho Social), Rui Neves (Psicólogo e Director Técnico de Lar), Fernando Sousa (Presidente de IPSS), César Fonseca (Vice-Presidente da AAGI e Doutorando em Comunicação), Alexandra Bráz (Assistente Social e Directora Técnica de Lar), Rosa Mendes (Fisioterapeuta), Júlio Gomes (Enfermeiro especialista Reabilitação), Sandra Feliciano (Auditora de Qualidade), Professora Barreiros de Sousa (docente Escola Superior de Enfermagem) e Rui Fontes (Presidente da AAGi e Director Técnico de Lar).

A reunião foi coordenada pela Professora Doutora Ana Escoval e pelo autor da tese de mestrado, enfermeiro Telmo Aleixo e teve ainda a presença de Filipe Rocha (Técnico de equipamento informático) e Pedro Moreira (Doutorando na área social) que esteve presente como observador.

Desta reunião saíram resultados muito positivos que vão agora ser tratados pelo autor da tese, esperando-se que em breve, seja publicada no site da Associação.

Os resultados obtidos neste trabalho serão posteriormente postos à disposição de todos os interessados para que tenham mais um instrumento que possa contribuir para o aumento da qualidade de cuidados nos Lares e Casas de Repouso, podendo estender-se a sua aplicação também às unidades de cuidados continuados.

Esta acção integra-se numa vertente importante da Associação que pretende acompanhar e apoiar todos os trabalhos académicos cujos autores solicitem o nosso apoio.

Ler mais

IV Jornadas da Associação de Estudantes da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra

Jan 5, 2010

A Associação Amigos da Grande Idade vai participar nas IV Jornadas da associação de Estudantes da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra nos próximos dias 14 e 15 de Janeiro, através da intervenção do seu Presidente no Painel 1, com o tema “Rede nacional de Cuidados Continuados e Integrados – A necessidade…”

Este Painel inicia-se às 10.30 horas do dia 14 de Janeiro e terá também a participação da Coordenadora Nacional da Unidade de Missão dos Cuidados Continuados, Dr.ª Inês Guerreiro, da Coordenadora da ECR do Centro, Dr.ª Maria José Hespanha e do Director Técnico da Unidade de Gouveia, Enf.º João Granado. O Painel terá a moderação do Prof. Rogério Rodrigues, Presidente do Conselho Técnico-científico da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra.

O programa completo, bem como todas as informações pode ser consultado em:

http://sites.google.com/site/jornadasaeesenfc/home

Ler mais

A Associação Amigos da Grande Idade está a negociar uma parceria com a Associação Portuguesa de Neuro-fibromatose (APNF)

Dez 13, 2009

aagi-novoapnfA Associação Amigos da Grande Idade está a negociar uma parceria com a Associação Portuguesa de Neuro-fibromatose (APNF). Esta parceria passará pela partilha de informação, meios de divulgação e formação em áreas comuns como a de cuidadores informais.

A APNF é presidida pela Dr.ª Lúcia Lemos com quem já efectuámos diversos contactos informais, estando previsto para o inicio de 2010 os primeiros contactos formais que levarão, estamos certos, à assinatura de documento de parceria.

O site da APNF poderá ser visitado em http://www.apnf.eu/apnf.htm

Ler mais